fbpx

Como resolver a “Diarreia das Pastagens”!

Vídeo Institucional da Alger
Alger apresenta seu vídeo institucional.
28 de janeiro de 2020
Pré Parto Alger
Cuide do Pré-parto e produza mais.
27 de maio de 2020
Pastagem de ótima qualidade
Compartilhe com seus amigos:

Se você já ouviu falar ou já aconteceu em seu rebanho, entenda como corrigir este problema.

 

Muitas vezes o gado sofre de diarreia, principalmente em épocas onde ocorre a troca de pastagem, ou início da mesma. Saber avaliar suas fezes é fundamental para o diagnóstico e o tratamento. O problema, normalmente, é evidenciado por uma mudança no caráter das fezes que ficam mais aquosas e soltas. Existem muitas razões pelas quais um animal fique com diarreia e é importante caracterizar a consistência e a cor das fezes ao decidir pela melhor medida para o problema.

A aveia e o azevém constituem-se em excelentes alternativas para a alimentação de vacas em lactação no período seco do ano, com vantagem econômica em relação aos sistemas de produção tradicionais, contudo, se faz necessário uma adaptação dos animais ao pastejo. Desta forma, os  animais devem ser submetidos a uma gradual adaptação da flora microbiana, para que não haja estresse (exemplo: diarreia) com o uso do novo tipo de alimento. Para isso, deve-se aumentar gradativamente o tempo de permanência dos animais na pastagem. Começa-se com uma hora no primeiro dia, duas horas no segundo, quatro horas no terceiro, até sua completa adaptação, o que ocorre entre sete e dez dias. Em aveia o início do pastejo deve ser feito quando a pastagem estiver com uma altura de 30 cm e em azevém a 20 cm aproximadamente.

Observações importantes:

1) A duração do pastejo pode ser de duas ou seis horas, além do pastejo contínuo. A redução do tempo de pastejo implica fornecimento de alimentação suplementar, quando os animais estiverem fora da pastagem.

2) Em pastejo contínuo, essas forrageiras suportam cerca de 3 vacas/ha; Com seis horas de pastejo, em torno de quatro e com duas horas de pastejo, até 6 vacas/ha.

3) Essas forrageiras, por serem um alimento nobre, só devem ser utilizadas por animais que produzam acima de 10 kg de leite/dia.

4) Animais em crescimento podem ter ganho diário ao redor de 1 kg em pastagens de aveia ou azevém.

5) Em aveia, as vacas devem ser retiradas quando a pastagem for rebaixada para 10 a 15 cm e em azevém, entre 7 e 10 cm, aproximadamente.

 

Irrigação da pastagem de aveia e/ou azevém.

1) No período seco, irrigar a cada 10 a 14 dias, aplicando em torno de 25 mm de lâmina d’água em cada irrigação, podendo ser modificada caso ocorram chuvas no período.

2) Em regiões onde ocorrem chuvas nessa época, não há necessidade de irrigação.

3) Usando irrigação por aspersão, o sistema de pastejo deverá ser o contínuo. Usando a irrigação por gravidade ou inundação exige pastejo rotacionado com três ou quatro piquetes, manejados com dez dias de pastejo e 20 a 30 dias de descanso.

4) Além da adaptação gradual das pastagens, torna-se indispensável também o uso de aditivos melhoradores de flora ruminal, dentre eles os pré e pro bióticos, como por exemplo leveduras e bactérias de rúmen e intestino.

Vacas a pasto

Vacas em pastagem de Azevém em ótimo estagio produtivo.

A Alger Nutrição Animal, possui soluções para este tipo de problema, entre eles: Kuramast, Protemic Sacch e BioLev. Clique nos produtos e saiba mais ou entre em contato com a gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *